Skip to content

O dono do nome: Facebucki e Amazô

Essa semana deparei-me com a notícia que a super e hiper interessante rede social Facebook entraria com um processo contra outra rede social voltada ao público evangélico; o FaceGlória.

facebuki processandoAo ler essa notícia lembrei do processo que levamos – eu e meu sócio – da grande livraria Amazon.com. Poucas pessoas sabem disso, mas acho que já chegou a hora de comentar o que aconteceu com a minha primeira empresa de Internet.

Para resumir, em 2007 resolvemos iniciar uma startup sobre informações turísticas da região Amazônica, incluindo Amazonas, Amapá, Roraima, Rondônia, Pará e Tocantins.

Estávamos indo bem, pagamos uma empresa para criar nosso site, investimos uma boa grana com estudo de cores, identidade visual, logomarca, espaços no site para propaganda e tudo mais.

Nossas ideias eram pioneiras para época, por isso tenho que ser orgulhoso e dizer que já estávamos implementando, por exemplo, as rotas de ônibus e horário de saída dos barcos.  Parece fácil, certo? Então vem aqui para Manaus em 2007 tentar divulgar tuas ideias. Internet lenta, empresários desinteressados e dois malucos tentando entrar no mercado sem nenhuma ajuda de políticos ou “QI”.

Já estávamos com 1.000 acessos mensais, outros “Portais” em Manaus já estavam se preocupando com a iniciante AmazonEnter.com.

A ideia do nome era: Entre e descubra a Amazônia! Não tinha nada ver com venda de livros ou algo do gênero. Era um site de informações turísticas.

Logo Amazon Enter

Meu primeiro soco no estômago foi quando registrei o domínio AmazonEnter.de (final de 2008). Na época tinha comprado 15 domínios de primeiro nível. Um advogado da Alemanha perguntou se nós não estaríamos interessados em contratá-lo para proteger nossa marca; o problema era usar o nome AMAZON! Agradeci e disse que não.

No início de 2009 meu sócio deu entrada no INPI ( Instituto Nacional da Propriedade Industrial) para registrarmos o nome e toda parte da identidade visual. Quase no final daquele ano levamos um direto matador; Amazon.com entrou com um processo para que nós não pudéssemos registrar aquele nome.

A desculpa era simples: o nome AmazonEnter.com era muito parecido com o domínio deles e poderia ATRAPALHAR o mercado de venda de livros. Acredita nisso?

Recorremos da decisão, mas o único escritório de registro de marca disponível em Manaus nos deixou na mão; não fizeram o serviço direito e o INPI deu causa ganha para Amazon. Poderíamos ter apelado da decisão, mas os valores eram absurdos para apenas dois Malucos. Resolvemos deixar essa briga para outra hora  e  desligamos os serviços do site.

Desejo aos amigos do FaceGlória todo sucesso!

Curiosidade: A Amazon dá tanta importância ao seu nome e quer exclusividade de uso que está tentando registrar o domínio de primeiro nível .amazon só para ela. Pelo menos a Senadora Vanessa, do PCdoB do Amazonas, está fazendo algo de produtivo tentando impedir que a livraria tenha propriedade total sob o .amazon.

Um pronunciamento no Plenário, nesta terça-feira (14), a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) pediu o apoio do Senado para impedir que uma empresa dos Estados Unidos se aproprie com exclusividade do domínio “Amazon“. Segundo a parlamentar, o pedido da multinacional de comércio eletrônico à Corporação para Atribuição de Nomes e Números na Internet (ICANN), acarretaria o cerceamento definitivo de domínios que façam qualquer alusão à Amazônia e costumes dos povos daquela região.

http://senado.jusbrasil.com.br/noticias/100512863/vanessa-grazziotin-pede-apoio-para-impedir-registro-de-dominio-exclusivo-da-amazon-na-internet

Be First to Comment

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.